Tenso, mas feliz

Foi um longo tempo de certezas e incertezas. Quase dois anos e meio; quase trinta meses de busca diária e incessante. Muita coisa aconteceu ao longo do caminho.

Estava bem, na zona de conforto (a pior coisa que pode acontecer na vida de uma pessoa) enquanto morava em Blumenau até ser desligado da empresa onde trabalhava. Um bom cargo, com salário equivalente, muita autonomia e sem grandes desafios. Então surge o desafio maior: buscar uma nova colocação profissional.

Sem entrar em detalhes, eu e minha namorada (que está mais para esposa, na verdade; para mim já é; mera questão de oficializar rsrs) mudamos para Joinville, a maior cidade do estado e, na minha cabeça, mais oportunidades. E mudar para cá não foi mero acaso; também não entrarei em detalhes.

Após a descompressão necessária, segue a vida. Sigo prestando serviços na área de web design e desenvolvimento, que foi minha porta de entrada para o Marketing anos atrás, e abraço novos projetos. É legal amar o que faz e fazer o que ama, mas a vida vai um pouco além disso. Claro, chega um momento em que a pessoa pode ser bem sucedida neste contexto, mas às vezes a vida requer maior dinamismo e resultados rápidos, então foquei na busca de recolocação.

Perdi a conta de currículos enviados, de entrevistas e participação em dinâmicas. Teve de tudo, até entrevista onde o gerente, que por sinal não estava na empresa, não sabia da entrevista e mal sabia do processo seletivo; sim, nem havia recebido meu currículo. Para piorar, eu estava em Florianópolis. Digo “para piorar” não pela cidade, mas pelo fato de cada ida à capital, e não foram poucas, representar um investimento gasto com o qual não podia arcar.

Resumindo…

Como tantos, atendi a um anúncio de vaga para Analista de Marketing, meu objetivo principal, e decidi fazer algo diferente. Quando solicitado para falar um pouco sobre meu perfil pessoal, decidi deixar de lado a série de clichês clássicos e fui extremamente simples e sincero. Citei duas características minhas, particularidades que me identificam de fato.

Concluí que a recepção foi positiva pois segui à próxima fase do processo. Ao responder três questões profissionais, fui simples, claro e objetivo, totalmente baseado em toda minha experiência profissional e o estudo constante/diário sobre minha área de atuação. Importante: sempre fugindo dos clichês. Odeio clichê. Então veio a entrevista. Eu já tinha passado por boas entrevistas, aquelas onde tudo corre bem e de forma fluída ao ponto de pensar “agora vai”. Esta foi diferente.

Tive a oportunidade de conversar com pessoas realmente diferentes, pessoas cuja maturidade e profissionalismo eram perceptíveis. Isso faz muita diferença, ao ponto de sentir uma… Confiança 2.0 Plus, então foi diferente falar sobre minha trajetória profissional e minha visão/meu posicionamento com relação ao mercado. E após uma hora saí com a sensação de que, mesmo que não conquistasse a vaga, ao menos havia conhecido e conversado com pessoas diferentes, mas tão diferentes que seria possível me identificar com elas.

Exatas sete horas e cinco minutos após esta experiência, uma notificação de nova mensagem em meu smartphone… Amanhã, 06/11/2017, será o meu primeiro dia de trabalho nesta empresa. Talvez entre em detalhes em nova oportunidade, afinal tanto a empresa quanto a plataforma e serviço oferecidos são incríveis.

No mesmo dia, e nos que seguiram, atualizei as pessoas sobre a novidade. Por “pessoas” entenda aquelas que me apoiaram e ajudaram de inúmeras formas. Todos, principalmente minha namorada/esposa, foram importantes.

Tenso, mas feliz

Afirmo isso pois tudo será novo. Colegas de trabalho, cultura,…, tudo novo! É um momento empolgante, excitante, e confesso que sinto certa tensão. Mas é uma tensão boa, de retomada, de novos caminhos e a certeza de que poderei retomar planos que são extremamente importantes. E me sinto feliz por tudo isso.

Life lessons

Nunca duvide de si. Uma negativa não significa que você não está preparado ou que não possui competência ou experiência suficiente. Pessoas são diferentes, então culturas organizacionais são diferentes.

Nem todo “insucesso” é negativo (ou insucesso). Em Agosto/2017 recebi uma proposta que significaria um avanço muito importante em minha carreira. Ascenderia ao cargo de Gerente de Marketing, que de certa forma consolidaria toda a minha experiência e maturidade. Mas o contexto era o mais complicado possível. Teria que mudar para Florianópolis, uma cidade incrível mas que exige uma certeza financeira que a empresa não oferecia e não tinha a intenção de oferecer. Foi um momento extremamente frustrante mas que, olhando para trás, me traz muita paz.

Mantenha-se em atividade, e não importa qual. Busquei e segui em uma série de jobs para a empresa onde trabalhei em São Paulo anos atrás. Além disso, abracei uma ideia e ajudo dois amigos que possuem uma cervejaria artesanal em Florianópolis (muito boa, btw; o crescimento deles é inevitável). Além disso, também trabalhei como freelancer em um bar aqui em Joinville onde, justamente por minha familiaridade com cervejas artesanais, servia e conversava muito sobre. Também segui lendo e pesquisando muito sobre minha área de atuação. Tudo foi importante para a manutenção do meu bem estar e para manter minha mente e ideias sempre afiadas.

Seja resiliente. Diante das adversidades, que atualmente são muitas e capazes de desanimar qualquer um profundamente, busque seu equilíbrio, resistência e a habilidade de se adaptar sem se conformar.

Seja você. Acho que esta é autoexplicativa =D

Tenha um objetivo, um Norte. Seja qual for, vá além da necessidade. Trabalho e busca de conhecimento são meios para algo maior; não são um fim. E assim que descobrir o seu Norte, tenha foco e trabalhe muito nele pois somente dessa forma você sai de onde está e chega onde quer chegar. “Com ou sem um amigo, siga buscando até o fim”.

Bom, por enquanto é isso. Preciso voltar às minhas atividades e me organizar, afinal amanhã será um grande dia. Até mais 😉

Em tempo:

  • Bad Religion – Along the Way
  • Bad Religion – Changing Tide
  • Minor Threat – Out of Step
  • Bad Religion – True North

Travado

Então um dia você acorda e em uma sequência de pequenos acontecimentos começa a pôr em prática suas ideias. Quer dizer, você começa a preparação.

Passa um café fresquinho, bebe uma água, vai ao banheiro, garante o silêncio e minimiza as interrupções externas (pois o que menos precisa é de algo distraindo você), separa a sua playlist de trabalho, come algo, liga o computador e verifica as atualizações do dia (como utilizo Linux, convém fazê-lo), abre um novo documento e… nada.

*Neste exato instante, pensando exatamente sobre o que quero escrever, sairei para fumar um cigarro. Bom, já volto.

E começam os questionamentos. “Será que a minha ideia não é boa o suficiente?”. “Será que eu não tenho capacidade de trabalhar esta ideia, pôr em prática?”. “Será que me falta conhecimento ou informações para desenvolver essa ideia?”. “Essa ideia é exclusiva? Alguém já teve essa ideia?”.

Cada questionamento torna-se uma desculpa para você se distanciar da ideia que teve. O questionamento, ao invés de trazer respostas, traz mais dúvidas sobre si do que sobre a ideia.

Há quem tente (e consegue) fugir/desistir de uma ideia justificando essa atitude com a realidade. Nossa mentalidade está exageradamente voltada à realidade que, na verdade, é uma série de imposições. Preciso trabalhar, preciso ter dinheiro para pagar as contas, preciso dormir oito horas por dia, me manter hidratado,… Não digo que há algo de errado nessas coisas, mas há um grande erro de concepção nisso.

Trainspotting (1996)

Dificilmente criamos uma nova realidade. Queremos uma, todos querem, mas dificilmente a criamos. Há uma força muito grande que nos prepara a ter dúvidas, a pensar em falha antes de tentar e, quando menos percebemos, abraçamos o conceito de realidade que nos deixa miseravelmente infelizes. Procuramos um emprego, assinamos o Linkedin para “construir um network“, coisa que particularmente não suporto, vamos ao mesmo emprego com as mesmas pessoas para fazer a mesma coisa diariamente, somos simpáticos, temos um grande sorriso preparado,…

Convicção. Esta é a palavra onde quero chegar. Vivemos convictos sobre uma série de coisas e, no entanto, não nos convençemos de que construir uma nova realidade requer trabalho, investimento de esforço e… uma ideia.

Parece fácil falar sobre isso. Não é. A realidade sempre dá um jeito de mostrar sua cara e nos distanciar da nossa busca. Mas espere! Se você teve uma ideia, e você a teve pois reúne (ao menos) os mínimos recursos para tirá-la da cabeça, por que não se investir nisso para mudar a realidade, para construir a sua nova realidade?

Enfim, estou tratavo, e agora você sabe o motivo.

Marketing 101

A ideia que o mercado, e me refiro a empresas e profissionais, tem do Marketing precisa mudar urgentemente.

Muita moda e pouco glamour, e a visão de que uma presença digital (que é importante, diga-se) basta esconde problemas e soluções.

Como dizem lá, back to the basics. Hora de trabalhar fundamentos e romper “culturas”.

A primeira abordagem profissional

Decidi criar duas categorias para o que poderá ser o blog deste website: Personal e Professional. Sim, tenho o costume de utilizar expressões em língua estrangeira.

Além disso, pensando sobre o SEO (Search Engine Optimization ou, se preferir, Otimização para Mecanismos de Busca). A plataforma que utilizo no momento (WordPress) possui bons plugins para esta tarefa. Acontece que já analisei uma a uma e não encontrei aquela que melhor atenda as constantes mudanças e diferentes abordagens, sejam técnicas ou conceituais. Veja, tento não me ater ao que utilizam ou veem como “melhor prática”, e ainda assim é possível que decida temporariamente por uma solução pronta, afinal quero fazer deste projeto uma experiência orgânica, com perfil profissional apurado mas baseado em experiência.

Sim, esta palavra será utilizada/repetida por aqui: experiência.

Sobre a imagem

Sim, esta imagem que atualmente está no fundo do header do website.

Out of Step

Para quem não conhece, trata-se da capa do álbum ‘Out of Step’ da banda Minor Threat. Não é, portanto, uma imagem de minha autoria.

Utilizo esta imagem por gostar da banda, por sua influência no gênero musical que faz parte do meu dia a dia desde, sei lá, meus 11 anos de idade, mas também utilizo esta imagem pelo que representa, pelo sentimento que tenho a respeito de muitas coisas relacionadas ao pessoal e ao profissional.

Se uma imagem fala mais que mil palavras, não tenho o que explicar.

Decisões

Passei as últimas horas pensando a respeito do meu website, que conteúdos publicarei, assuntos a abordar, aspectos técnicos que envolverão criação, desenvolvimento (incluindo plugins),… Acabei decidindo pelo mais simples e diferente.

Poderia publicar desde já um website bacana, com uma arte e estrutura informacional que mostrasse muito da minha experiência e habilidade, mas decidi fazer o contrário. Quero algo mais orgânico, escrever, publicar, reconhecer minhas demandas e, aí sim, decidir sobre como e o que implementar. Parece o certo, afinal a própria definição deste espaço, a criação da sua identidade, também será orgânica e natural.

Não é uma experiência ou uma tese. Uma influência, quem sabe. Mesmo a aclamada série de TV Seinfeld, uma série ‘sobre nada’, foi algo. Hora boa para pensar.

#1

Não preciso citar data e hora para registrar quando (finalmente) decidi publicar um website. De fato, apenas a data, pois a hora certamente antecede este momento. Enfim…

Após muitos anos (e muita pressão da minha esposa; justíssima, por sinal), mesmo sendo um profissional da área, publico na Internet um… Sinceramente? Ainda não sei o que este espaço será, mas tenho a ideia de publicar uma série de assuntos que julgo interessantes, muito da minha vida pessoal/profissional,… Bem, é o meu website, então terá a minha cara, minhas ideias. Por falar em ‘cara’, inicio com o layout mais básico possível; criarei e trabalharei em algo nos próximos dias.

Ainda decidirei se este espaço estará aberto a comentários; bem inclinado a não disponibilizar este recurso. Veja, encaro bem (quase) qualquer tipo de comentário, mas minha preocupação maior é com SPAM, e como não posso dedicar tanto tempo assim à moderação neste momento da minha vida, assim será até decidir com mais propriedade.

Bom, acredito que seja o suficiente para este momento. E caso tenha acessado e lido esta postagem, agradeço por sua visita. Até breve.